22.3.08

O verdadeiro espírito pascal


Ontem à noite, a SIC exibiu, após a meia-noite, o filme «A Paixão de Cristo», de Mel Gibson, que nos dias anteriores fora anunciado de forma tonitruante.

Mas a emissão foi uma autêntica corrida de obstáculos: 30 minutos de filme, 14m50s de publicidade, depois mais 29 minutos de filme até ao segundo intervalo (14m29s de publicidade), antes de mais 28 minutos de filme até ao terceiro intervalo (que nos trouxe 10m40s de publicidade). E só depois, finalmente, os últimos 22 minutos de filme.

A matemática é fácil de fazer: 109 minutos de filme recheados com mais uns bons 40 minutos de publicidade. Também não custa muito determinar a que horas terminou a transmissão, nem imaginar quão poucos foram os espectadores que resistiram a tal provação.

Ah, e como a estação se gaba muito de apoiar o cinema e respeitar as artes e os artistas, a ficha técnica voltou a ser eliminada - provavelmente para não tirar lugar à publicidade que se seguiria.

1 comentário:

Teresa Coutinho disse...

É um bom filme, pesado sem dúvida emociona qualquer um, talvez o facto de introduzirem intervalo tenha aliviado a tenção gerada por toda aquela ensenação. Quando vi o filme, vi-o todo de seguida e confeço que não é a melhor ideia, muito emotivo.